COMO SEPARAR SEU LIXO I

Por Marina Scatolin

Em 2019, a organização não-governamental Fundo para Resíduos de Embalagens (Afvalfonds Verpakkingen) reportou que em 2018 foram reciclados 79 por cento das embalagens na Holanda, superando o objetivo do país e da União Europeia, de reciclar 70 por cento desses resíduos. Tais dados colocam a Holanda entre os maiores recicladores de embalagens da União.

Além de explicar que a reciclagem de embalagens tem um papel importantíssimo na transição para a Economia Circular, a organização se une ao governo e entidades como a Milieu Centraal para enfatizar que reciclar vale, sim, todo o seu tempo e esforço. Além de poupar recursos naturais e combater a poluição, a reciclagem reduz a área dedicada a lixões, permitindo que mais terreno esteja disponível para agropecuária e construção.

Vamos às dicas de como fazê-lo de maneira eficiente e sem pesar tanto na sua rotina!

Conheça seu lixo

Este é o primeiro passo para entender que tipos de resíduos você gera, e também para se conscientizar sobre a quantidade de coisas que joga fora. Examine sua lixeira rapidamente, e pense em tudo o que poderia ser reutilizado. Você ainda joga de tudo no lixo, até lâmpadas queimadas, baterias e eletroeletrônicos? Se sim, pense comigo: faz sentido misturar esse tipo de lixo com restos de verduras, por exemplo? A resposta é não, porque restos orgânicos podem ser facilmente usados como adubo, enquanto outros tipos de lixo oferecem perigo e devem ser descartados de maneira apropriada pelas autoridades.

Há décadas se pratica a reintrodução de materiais usados no ciclo de consumo. Por isso, já sabemos que grande parte dos resíduos pós-consumo (como embalagens) têm muito valor.

Monte uma estação de reciclagem

O mais recomendando é que tal estação esteja na cozinha ou perto dela. Uma boa logística e organização aumentam muito as chances de você se manter motivado.

Suas opções incluem ter várias lixeiras comuns na sua cozinha, ou adquirir uma estação pré-montada, que é facilmente encontrada em lojas como Blokker, Ikea e especializadas online (você pode até investir em um modelo de designer!).

São necessários 4 compartimentos: um para papel e papelão, um para vidro, um para plástico (incluindo metal e embalagens Tetra Pak), e um para restos de verduras e frutas (conhecidos como GFT – groente, fruit en tuinafval). Recomendo que o último seja pequeno e fique em cima da pia, para facilitar a coleta e o descarte.

Use o aplicativo e/ou o site da sua gemeente

O próximo passo é saber que tipo de coleta existe na sua área. O aplicativo Afvalwijzer contém todas as informações que você precisa sobre a coleta, incluindo mapas de lixeiras públicas e que tipo de material é aceito em cada lixeira. O mesmo se encontra no site da sua gemeente.

Se você mora em barro residencial no subúrbio, pode haver coleta seletiva semanalmente. Nesse caso, vale a pena manter compartimentos menores dentro de casa, além de lixeiras maiores no quintal, providenciadas pela gemeente. Você usa menos espaço em casa, e pode esvaziar as lixeiras internas todas as noites. No caso da lixeira GFT, isso é fundamental para combater o odor da decomposição.

Caso não haja coleta, você deve levar seus resíduos semanalmente, ou a cada 3 dias, às lixeiras públicas localizadas no seu quarteirão. Se você não tem espaço externo para fazer compostagem, descarte os resíduos GFT semanalmente nas estações descritas abaixo.

Estações públicas de depósito de lixo

O nome varia por local, com algumas estações sendo chamadas de STITS, e outras de Milieupark. Elas são uma área onde são encontrados inúmeros containers, para todo tipo de lixo, incluindo lixo tóxico como óleo de cozinha. É frequente também encontrar um container para  doação de roupas, sapatos, brinquedos e outros utensílios que estejam em bom estado.

Algumas vezes por ano, você deve visitar essas áreas para dispor de óleo de fritura, brinquedos quebrados, restos de materiais de construção, resíduos de jardinagem em grande quantidade, etc.

Espero que essas dicas tenham ilustrado claramente o processo de reciclagem. Sei que há muitas dúvidas que envolvem o assunto, por isso vou continuar com este tema. Aproveite para deixar suas dúvidas e sugestões nos comentários para que eu possa incluí-las no próximo post. Vamos fortalecer a comunidade de brasileiros que reciclam na Holanda, o que acha?

Marina Scatolin é especialista em comportamento ecológico, e baseada em suas experiências nos Estados Unidos e na Holanda, ajuda indivíduos e famílias a encontrar um estilo de vida mais ecológico que se encaixe na realidade deles.

Veja artigo relacionado

Comentários

mood_bad
  • Ainda não há comentários.
  • chat
    Adicionar um comentário